Para as competições foram sendo selecionados cavalos com aptidão para corridas, incluindo animais trazidos do norte da África das raças berbere e árabe, que eram comprados ou tomados em batalhas. Com a necessidade da melhora do desempenho em pistas, foram aprimorando as raças dos animais, através do cruzamento das éguas locais com os tais “garanhões” árabes, surgiu o cavalo puro sangue inglês de corrida, que praticamente domina a atividade turfística.

Ele é um animal com extrema capacidade de resistência, são capazes de exercer-se através do exercício aeróbio ou anaeróbico por períodos relativamente longos de tempo.

Origens

Há três origens dos cavalos orientais que contribuíram na formação da raça:

  •  o cavalo árabe ou turco (Equus caballus aryanus).
  • a sub-raça Nedjed do centro do deserto do Saara.
  • o barbo, berbere, mongólico ou mongol (Equus caballus africanus) originário da Ásia central, levado para a África antes do árabe.

Quando surgiu no Brasil?

Ao Brasil o esporte chegou em meados do século XIX, com notícia das primeiras corridas de cavalo no Rio de Janeiro ligadas ao negociante inglês James Monley e Clots em 1825. Mas em termos de sociedade turfística ocorre , apenas em 6 de março de 1847, a fundação do Clube de Corridas, que teve como primeiro presidente Luís Alves de Lima e Silva, o Conde de Caxias. Este, durou três anos e fechou. A área do Prado Fluminense foi arrendada pelo empresário Major Suckow : os portões do Prado Fluminense reabriram em 1854 para corridas . Inicialmente o Major Suckow fazia as corridas por sua conta e praticamente alugava o Jockey Club Fluminense. Em 1868 um novo grupo liderado pelo Dr. Costa Ferraz e pelo Conde Hersberg fez ressurgir o Jockey Club, sendo re-fundado o novo Jockey Club com corridas no mesmo prado fluminense em 16 de julho de 1868.
Em 1884, o engenheiro Dr. Paulo de Frontin , por desentendimentos, saiu para organizar outra entidade, o Derby Club, adquirindo área da Baronesa de Itamaraty, contígua a residência do Duque Saxe-Gota (primo do Conde D’Eu) que também foi comprada para ser a sede do clube. O Prado do Itamaraty localizava-se em área que hoje é ocupada pelo Estádio do Maracanã. O Dr Paulo de Frontin foi o fundador e primeiro presidente.do Derby Club.
Os Hipódromos mais nobres eram o Prado Fluminense ,(Engenho Novo) , do Jockey Club com uma pista de 1609 metros; e Prado Itamaraty, (Maracanã) , do Derby Club . O Jockey Club, que realizava sua programação no Prado Fluminense, agregava em suas diretorias quadros da aristocracia tradicional enquanto o Derby Club, abrigava quadros de “novos ricos” e emergentes reunidos no Prado Itamaraty, que tinha uma pista de 1450 metros. Mas havia outros, como o Prado do Turf Club e o Hippodromo Nacional além de locais de corridas mais populares, como o Prado Guarany, em São Cristóvão. A crise econômica de 1893 fez sucumbir o Hippodromo Nacional e o Turf Club.

Em 1870 é criado o primeiro stud book no Brasil, apenas para cavalos nascidos no país. Em 1873 há o primeiro páreo destinado à raça puro-sangue inglês no Brasil. Em 1875 surgem os páreos denominados Grandes Prêmios. O primeiro Grande Prêmio que chamou a atenção foi o Grande Prêmio Cruzeiro do Sul, disputado no Jockey Club a partir de 1883, com similitudes ao ao Derby de Epson. O Derby Club passou a apresentar o Grande Prêmio internacional Rio De Janeiro, em 1885. Em 1903 o Jockey Club inicia os páreos chamados Clássicos. Em 1905 foi editado o primeiro anuário do Jockey Club do Rio de Janeiro. Em 1909 regulamentou-se o primeiro Stud Book no Rio de Janeiro admitindo nacionais, estrangeiros e mestiços a partir de 3/4.
Em torno da década de 1910 o Jockey Club começou a construir a ideia de um novo hipódromo sobre o aterro ao lado do Jardim Botânico na Gávea. Em 1926 o Jockey Club iniciou suas corridas neste que inicialmente denominou-se Hipódromo Brasileiro, e que depois passou a ser denominado Hipódromo da Gávea. O Derby Club continuava com suas corridas no Prado Itamaraty, que passaram a ser preteridas em relação ao concorrente por apresentar uma programação enfraquecida , E com a necessidade do Jockey Club captar mais recursos as corridas passaram a ser simultâneas , com as duas entidades concorrendo pelas apostas no mesmo dia : o Derby , com patrimônio livre mas com diminuição das apostas e o Jockey com bom volume de apostas mas que não cobriam o endividamento consequente a construção do novo hipódromo. Em 1932 os dois principais clubes turfísticos da cidade do Rio de Janeiro fundiram-se constituindo o Jockey Club Brasileiro com corridas no Hipódromo Brasileiro, do Jockey Club, construído na Gávea (rebatizado Hipódromo da Gávea). Nesta época o Rio Grande do Sul se consagra como o maior produtor de cavalos de corrida.

Entidades de turfe no Brasil

A promoção de corridas de cavalos e venda de apostas em território brasileiro é regida por lei federal. As principais entidades de turfe no Brasil que organizam reuniões, dentro de um calendário oficial, constituídas de vários páreos em que competem apenas thoroughbreds em hipódromos de volta fechada (pista ovalada) são:

Jockey Club Brasileiro/ Hipódromo da Gávea, (Rio de Janeiro)
Jockey Club de São Paulo/ Hipódromo de Cidade Jardim, (São Paulo)
Jockey Club do Rio Grande do Sul / Hipódromo do Cristal, (Porto Alegre)
Jockey Club do Paraná / Hipódromo do Tarumã, (Curitiba)
Existem ainda diversas outras sociedades turfísticas, que organizam corridas de cavalos em hipódromos de volta fechada (pista ovalada), como:

Derby Clube Sobralense / Hipódromo Edmilson Moreira ou Hipódromo Sobralense, (Sobral)
Jockey Club Cearense / Hipódromo de Aquiraz, (Aquiraz)
Jockey Club de Pernambuco / Hipódromo da Madalena, (Recife)
Jóquei Clube de Goiás / Hipódromo Ubirajara Ramos Caiado ou Hipódromo da Lagoinha, (Goiânia)
Jockey Club de Cachoeira do Sul / Hipódromo do Amorim, (Cachoeira do Sul)
Jockey Club de Pelotas /Hipódromo da Tablada, (Pelotas)

As principais entidades turfísticas do Brasil que promovem apenas corridas em pista de traçado reto (cancha reta) utilizando para velocidade o quarto de milha e o thoroughbred, são:

Jockey Club de Sorocaba. (Sorocaba) ,
Jockey Club Carazinhense (Carazinho).

Há ainda diversas outras sociedades turfísticas que organizam corridas de cancha reta, como: Jockey Club de Santiago, Associação dos Amigos do Parque, Jockey Club Fazenda Rio Grande, Jockey Club Raia das Palmeiras.

Hipódromo em noite de corridas.

Os Jockey Clubs desenvolvem suas corridas em locais denominados hipódromos. Os hipódromos organizados são constituídos por pistas de corridas, de areia ou grama, e pavilhões.

A pista pode ser em volta fechada (com curvas e retas), ou em traçado reto (cancha reta) A pista em circuito fechado em geral tem o perímetro ovalado, e menos frequentemente, tendendo a um triângulo com atenuação dos ângulos, com seu percurso medindo geralmente entre 1500 e 2000 metros. Pode conter obstáculos a serem transpostos pelos animais em corridas especiais (não existentes no Brasil). O perímetro da pista envolve uma área central gramada denominada bacia.

A pista em traçado reto ou cancha reta é bastante frequente nas áreas rurais e atende pequenas sociedades. Sua extensão mede entre 300 e 500 metros na maioria das vezes.

Quanto aos pavilhões, podem ser destinados ao público aficionado em geral (pavilhões populares e especiais), aos sócios (pavilhão social) e aos profissionais do turfe (pavilhão paddock).

Modalidades de apostas

 

Existem várias possibilidades de apostas,sendo as mais tradicionais:

Vencedor: também conhecida como ponta, é a aposta direta no cavalo vencedor.
Placê: vale se o cavalo apostado chegar em primeiro ou segundo lugar.
Dupla: o apostador deve selecionar dois animais, sendo que um deles deve chegar em primeiro e o outro em segundo lugar, independente da ordem.
Exata: também conhecida como dupla-exata, consiste em acertar o primeiro e o segundo colocados na ordem correta de chegada.
Trifeta: são os três primeiros colocados na ordem correta. Pode-se fazer apostas simples (um cavalo para primeiro, outro para segundo e mais um para terceiro) ou combinadas (quantas inversões quiser).
Quadrifeta: são os quatro primeiros colocados na ordem correta. Pode-se fazer apostas simples (um cavalo para primeiro, segundo, terceiro e quarto lugares) ou combinadas (quantas inversões quiser).
Pule ou poule é o nome popular do boleto (bilhete) de aposta.

Remates e paradas
Remate, como aposta, é uma modalidade tradicional, muito utilizada no meio rural em que é leiloado o direito de apostar em cada competidor. Pode ser formal ou informal. Parada, como aposta, é o contrato verbal entre 2 ou mais pessoas, cada uma escolhendo um ou mais competidores. Em geral é uma aposta não formal.